Arte Incomum

As artes do imaginário, também denominadas arte incomum, arte fantástica ou arte bruta, são conceitos usados para classificar as obras que parecem ter nascido dos mistérios e verdades profundas da psiquê humana e à margem dos cânones artísticos. Começaram a ser identificadas com Jean Dubuffet, em fins de 1940, num contexto de recusa à cultura asfixiante do establishment, o sistema oficial das artes. Na arte popular brasileira, são muitas e surpreendentes as criações que se incluem nesse gênero, no qual realismo e fantasia se misturam em grandes doses. Encontramos tanto autores que inventam temas nunca antes pensados, como o ceramista Manoel Galdino (PE) e seu “Lampião-sereia”, quanto outros que tratam os temas universais de maneira absolutamente original, como Antônio Poteiro (GO) e sua obra “Torre de Babel”.

Angela Mascelani

OBRAS
  • Carranca de cavalo homem
  • Máscara
  • Santo Antônio caminhante
  • Carregando criança
  • Máscara com três rostos
  • Sapo
  • Casarão entre o mar e a serra
  • Monstro com calango na boca
  • Sinaleiro do Laurentino
  • Cavalo na fazenda
  • Monstro pequeno
  • Sinaleiro do vento
  • Cidade tentacular
  • Moringa de três cabeças
  • Conselho de animais
  • Mulher com cabelos cacheados
  • Crepúsculo na praia
  • Mulher com coroa
  • Mulher com placa na mão
  • Entalhe de um casamento
  • Mulher de cabelos pretos
  • Escultura rosa encimada por pássaro
  • Figura fantástica comendo animal
  • Navio negreiro com plumas
  • Adorando o boi
  • Passista
  • Girafa com homem no pescoço
  • Piquenique
  • Guerreiro
  • Placa
  • Barco com duas cabaças
  • Macacos e leões nos galhos
  • Porta bandeira
  • cachorro-caçando-gato
  • Máscara
  • Roda

(RE) INVENTAR - ARTISTAS CRIADORES SESC SANTO ANDRÉ, SP

2018
SESC SANTO ANDRÉ
SANTO ANDRÉ, SÃO PAULO

A exposição (RE) INVENTAR – ARTISTAS CRIADORES apresenta no SESC SANTO ANDRÉ, São Paulo, um conjunto de 25 artistas populares, procedentes de seis estados brasileiros, cujas obras integram o acervo do Museu Casa do Pontal. Ela se inspira nas histórias de vida destes artistas originais, cujas criações e mitologias ampliaram o universo da arte brasileira.

É fato que a arte escultórica popular nasce do mundo artesanal, mas nem sempre é fácil entender porque e como essas produções se diferenciam. A mostra parte dessa relação e oferece para a fruição do público mais de 250 obras. Por meio das narrativas biográficas e de depoimentos emblemáticos dos artistas sobre si mesmos ou suas invenções, outras perspectivas de entendimento se abrem, revelando o processo complexo que dá sustentação ao trabalho destes autores.

A mostra ambiciona, assim, contribuir para ampliar o conhecimento sobre a potência que os mundos de arte são capazes de gerar, na medida em que podem acolher talentos os mais diversos, como os aqui apresentados, que tiveram origem em meios populares, nos quais as tradições têm grande importância.

Ao mesmo tempo em que valoriza a experiência direta com as obras, a exposição permite – por meio de textos, filmes, documentos sonoros e atividades de mediação – que o público se aprofunde no assunto. Destaca ainda a contemporaneidade deste campo de atividade criativa, no qual os intercâmbios e as trocas são centrais.

Angela Mascelani - curadora

Páginas